SÃO VICENTE GONZAGUINHA

Rua Amador Bueno
da Ribeira, 68

SANTOS
BOQUEIRÃO

Av. C. Nébias, 754
sl 2414 - Helbor Offices

(13) 3569-5555

ou procure uma das unidades



DR. FILIPE ACCIOLY DE GUSMÃO

CRM. 105.245

Especialista em Cirurgia de Catarata, Refrativa e Glaucoma

Graduação
Dezembro de 2001 pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos - FCMS.

Residência Médica
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP-EPM) – de janeiro de 2002 a janeiro de 2005.

Prêmios
• Primeiro Lugar (melhor nota geral) na Prova de Título de Especialista em Oftalmologia pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia – CBO no ano de 2005.

Atividades Médicas
• Especialização em Catarata e Glaucoma (UNIFESP – EPM) de 2005 a 2008.
• Médico Assistente do setor de Catarata (UNIFESP – EPM).
• Sócio-Diretor do Instituto Oftalmológico Accioly de Gusmão. Responsável pelo Setor: Catarata.

Formação Complementar
• Especialização em Administração em Sistemas de Saúde, Marketing e Finanças pela Fundação Getulio Vargas (FGV); 2008-2009.
• Post Graduate Medical Education - HMS Surgical Leadership Program; 2018-2019. HARVARD MEDICAL SCHOOL, Boston – USA.

Filiação a Sociedades Científicas
• CBO - Conselho Brasileiro de Oftalmologia
• SBG - Sociedade Brasileira de Glaucoma
• SBCCR - Sociedade Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (BRASCRS)
• AAO - American Academy Ophthalmology
• ASCRS - American Society of Cataract & Refractive Surgery
• ESCRS - European Society of Cataract & Refractive Surgery


DR. CADMO ACCIOLY DE GUSMÃO

CRM. 16.682

Oftalmologia Geral , Glaucoma e Lentes de Contato

Graduação
Santa Casa de São Paulo em 1971

Residência Médica
Santa Casa de São Paulo – de janeiro de 1972 a dezembro de 1973.

Atividades Médicas
• 30 anos como Assistente de Oftalmologia da Santa Casa de São Paulo
• Sócio-Diretor do Instituto Oftalmológico Accioly de Gusmão

Filiação a Sociedades Científicas
• CBO - Conselho Brasileiro de Oftalmologia
• SBG - Sociedade Brasileira de Glaucoma


Dra. Léa Cinthia Formigoni

CRM. 97.265

Oftalmologia Geral

Graduação
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP - EPM) em 1999.

Residência Médica
Universidade Federal de São Paulo – de janeiro de 2000 a janeiro de 2003.

Especialidade
• Especialização em Glaucoma - Universidade Federal de São Paulo de 2003 a 2005.

Filiação a Sociedades Científicas
• CBO - Conselho Brasileiro de Oftalmologia


Dra. Margara Zanotele Hemerly

CRM. 97.277

Retina e Vitreo

Graduação
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP - EPM) em 1999.

Residência Médica
Universidade Federal de São Paulo – de 2000 a 2002.

Especialidade
• Especialização em Retina e Vitreo - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP - EPM): 2003 a 2004.

Formação complementar
• Fellow em Retina e Vítreo - 2005 - Centre Monticelli Paradis D'Ophtalmologie - Marselha, França.

Atividades Médicas
• Médica assistente do Setor de RETINA do Hospital do Servidor Estadual de São Paulo.
• Médica responsável pelo setor de Retina da Unidade de Santos do Instituto Oftalmologico Accioly de Gusmão.

Filiação a Sociedades Científicas
• CBO - Conselho Brasileiro de Oftalmologia
• SBRV – Sociedade Brasileira de Retina e Vitreo
• EuRetina - European Society of Retina Specialists


DR. DANIEL COLICCHIO

CRM. 138.199

Retina e Vítreo

Graduação
Universidade de São Paulo (FMRP-USP) em 2009

Residência Médica
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP-EPM) – 2010 a 2012

Especialidade
Especialização em Retina e Vítreo - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP - EPM) – 2013 a 2014.
Especialização em Ultrassonografia ocular - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP - EPM) em 2014.
Formação complementar
Mestrado Profissional Associado à Residência Médica (UNIFESP – EPM) – 2012 a 2014

Filiação a Sociedades Científicas
• CBO - Conselho Brasileiro de Oftalmologia
• AAO - American Academy Ophthalmology
• PAAO – Pan-American Association of Ophthalmology
• ISOO – International Society of Ocular Oncology


DR. VAGNER TADEU ORLANDO FILHO

CRM. 104.050

Córnea e Doenças Externas

Graduação
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP-EPM) em 2001.

Residência Médica
Universidade Federal de São Paulo - de janeiro de 2002 a janeiro de 2005.

Especialidade
•Especialização em Córnea e Doenças Externas - Universidade Federal de São Paulo de 2005 a 2006.

Filiação em Sociedades Científicas
•CBO - Conselho Brasileiro de Oftalmologia.


DR. RAFAEL FREDERICO PERES

CRM. 158.101

Glaucoma

Graduação
Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas) em 2013.

Residência Médica
Complexo Hospitalar Ouro Verde (CHOV) – Campinas-SP – de 2015 a 2017.

Especialidade
Especialização em Glaucoma - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP-EPM): 2018 e 2019.

Atividades Médicas
• Médico Assistente do Setor de Glaucoma da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP-EPM).

Filiação a Sociedades Científicas
• CBO - Conselho Brasileiro de Oftalmologia
• SBG – Sociedade Brasileira de Glaucoma


DRA. LETÍCIA LUNARDI

CRM. 120.167

Lentes de Contato

Graduação
Medicina UNILUS – Faculdade Ciências Medicas de Santos - FCMS (2005).

Residência Médica
Oftalmologia na Santa Casa da Misericórdia de Santos (fevereiro de 2007 a janeiro de 2010).

Especialidade
Refração e Lentes de Contato na UNIFESP (2010).
Glaucoma e Catarata na FMABC (2012 a 2014).

Atividades Médicas
Médica Colaboradora do Setor de Lentes de Contato na UNIFESP (2011- 2013)

Prêmios
Menção Honrosa como Melhor trabalho científico na categoria Médico Oftalmologista para o tema Lentes de Contato. Título: Análise dos desenhos das Lentes de Contato adaptadas em cada grau/tipo de ceratocone. (VII Congresso Brasileiro da SOBLEC -2015).


DR. RIBEIRO DE SOUZA

CRM. 177354

Retina Clínica

Graduação
Universidade Federal de Juiz de Fora, UFJF, Juiz De Fora, Brasil - 2010 - 2015

Residencia Médica
Universidade de Santo Amaro, UNISA, São Paulo, Brasil - 2016 - 2019

Especialidades
Especialização em Retina Clínica
Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, Brasil – 2019 - 2021

Formação complementar
Observership Program em Retina Clínica e Cirúrgica( University Health Network, UNH, Canadá) 2018 – 2018

Filiação a Sociedades Cientificas
CBO - Conselho Brasileiro de Oftalmologia








EXAMES

• Angiofluoresceinografia
• Campimetria Computadorizada (Campo Visual)
• Curva Tensional Diária
• Biometria Óptica
• Gonioscopia
• Mapeamento da Retina
• Microscopia Especular de Córnea
• Paquimetria Ultra-sônica
• Potencial de Acuidade Visual (PAM)
• Retinografia
• Teste de Sensibilidade/Contraste
• Tonometria
• Ultrassom Ocular
• Topografia de Córnea
• Tomografia de Coerência Óptica (OCT)

* Exames realizados na própria Clínica.

CIRURGIAS

• Cirurgia Plástica Ocular
• Cirurgia Refrativa (Miopia, Hipermetropia e Astigmatismo)
• Cirurgia de Presbiopia
• Cirurgia de Catarata
• Cirurgia de Glaucoma
• Correção de Estrabismo
• Cirurgia de Pterígeo
• Transplante de Córnea
• Cirurgias de Retina (Vitrectomias)
• Tratamento com Injeções IntraOculares (Retina)

* Cirurgias realizadas no Centro Cirúrgico da própria Clínica.












• ABET/PLAMTEL
• AMAFRESP
• AFESP
• AMBEP
• Associação Comercial de São Vicente
• Bradesco Seguros S/A
• CAPEP
• CABESP
• Caixa de Previdência de Cubatão
• Caixa de Previdência de São Vicente
• Care Plus *
• Cassi *
Novo - CRECISP
• Fundação Cesp
• Ecônomus (Ex-funcionários Nossa Caixa Nosso Banco)
• Postal Saúde (Funcionários Correios)
• Sabesprev
• USISAÚDE
• Gama Saúde
• GEAP
• Golden Cross *
• Novo - Itaú Saúde
• Lincx *
• Marítima *
• Notre Dame Saúde
• Omint *
• Petrobras
• Porto Seguro Saúde
• Santa Casa
• Saúde Caixa (Caixa Econômica Federal)
• Unimed
• Unibanco *
* Convênios atendidos sob livre escolha.







Você sabia que bebês nascem daltônicos?

Sabia dessa?

01/08/2017

Os recém-nascidos são daltônicos e isso não é tido como uma deficiência no início da vida. Veja como acontece o desenvolvimento da visão de uma criança.

Por que os bebês nascem daltônicos?

Os recém-nascidos não têm a capacidade de visualizar as cores porque os seus olhos ainda estão em processo de desenvolvimento. Existe grande falta de foco e nitidez na sua visão, e para o bebê, as colorações são manchas nas cores neutras: o branco, o preto e o cinza. Sua qualidade visual é bem baixa porque as células nervosas da retina e do córtex cerebral estão amadurecendo.

Quando os bebês passam a enxergar as cores?

Logo nos primeiros meses da vida, com o autodesenvolvimento ocular, os bebês vão ganhando a acuidade correta. Assim como a capacidade de nitidez e compreensão visual à longa distância aumentam, a capacidade de discriminar as cores também. Com dois meses iniciais, os recém-nascidos já diferem o verde e o vermelho. A partir do mês seguinte, se começa a compreensão completa da cor azul.

Gradualmente, mais tonalidades de cores serão alcançadas junto ao aumento da qualidade visual das crianças. Entretanto, é a partir dos 8 meses de idade que o seu bebê alcançará um visão próxima a de um adulto. Mesmo enxergando melhor de perto do que longe, ele já terá muito mais clareza e conhecimento de profundidade em relação aos espaços que está.

 

 Mesmo após o primeiro ano de vida, o teste de daltonismo definitivo precisa ser feito?

O ideal é realizar ainda na infância o teste de daltonismo definitivo e todos os testes oculares disponíveis para crianças. Muitos profissionais que estão envolvidos no desenvolvimento da criança poderão auxiliar seu filho, desde os pediatras aos professores e, eventualmente, até os psicólogos.  Pediatras e psicólogos através do diagnóstico em consultas ou em terapias infantis e professores, pelo convívio diário, com as reações das crianças às atividades escolares. .

Ressaltamos que a comprovação é daltonismo é importante para que seus portadores não tenham problemas no desenvolvimento das atividades ao longo da vida. O daltonismo não tem cura, mas hoje já existem tabelas de cores e aparelhos específicos para ajudarem os que sofrem com essa deficiência.


SÃO VICENTE GONZAGUINHA

Rua Amador Bueno
da Ribeira, 68

SANTOS
BOQUEIRÃO

Av. C. Nébias, 754
sl 2414 - Helbor Offices

2016 IOAG - Todos os direitos reservados
Responsável Técnico Dr. Accioly de Gusmão - CRM 16682